É POSSÍVEL QUE ADOÇÕES SEJAM BEM SUCEDIDAS? CONFIRA AS VISÕES DAS CONSTELAÇÕES FAMILIARES!

Salve, salve amigos!

No momento que os pais não estão mais aptos a cuidarem de seus filhos, independentemente do motivo, a melhor alternativa são os avós. Por ter essa conexão direta com os pais, se aproximam com mais facilidade das crianças.

Quando os avós não estão mais vivos, ou por algum motivo eles não podem assumir, a próxima escolha é uma tia ou um tio. A adoção é sempre o último recurso, sendo cogitada apenas quando ninguém da família está disponível.

As intenções dos pais adotivos sempre é o fator mais crucial, quando eles agem no melhor interesse da criança, a adoção terá boa possibilidade de sucesso.

Mas raramente o interesse da criança é colocado em vigor. O que mais acontece são os pais que adotam para seu próprio interesse, para suprir o desapontamento de não conseguir ter seus filhos. Nestes casos, a ordem básica do dar e receber, bem como a ordem dos relacionamentos, se desalinha logo de começo; os pais sofrerão as consequências de seus atos ou sofrerão os filhos.

Os parceiros tomam o lugar dos pais biológicos das crianças quando os adotam para suprir suas próprias necessidades e não as da criança em questão. O que gera consequências negativas no sistema familiar.

Acontece com frequência casais se divorciarem depois de adotar uma criança por motivos impróprios.

Também não é incomum que filhos adotivos detestem seus novos pais e desprezem o que recebem deles.

É comum que os pais adotivos se sintam superiores aos pais biológicos; fazendo com que talvez, o filho inconscientemente, demostre solidariedade para com o país biológicos.

O sacrifício do parceiro é comum pois inconscientemente ele foi responsável por privá-lo de filhos.

É comum casos de divórcio, doenças, aborto e morte na família que adota por razões que não estão dentro da lei. Podendo a chegar em enfermidade ou suicídio de um filho natural do casal.

No momento em que os pais adotivos estão agindo no interesse da criança, eles sabem que são substitutos, ou representantes dos seus devidos pais biológicos, no qual estão trabalhando para ajudar eles a cuidar de seus filhos, visto que já não era de seu alcance tal ato.

Se essa ordem for respeitada, os filhos podem aceitar e respeitar os pais adotivos.

Espero que este conteúdo tenha acrescentado positivamente na sua vida!

Deixo um forte abraço no coração, até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *